Avançar para o conteúdo

Brian Mvrtin um artista que nasce dum paradoxo

Brian Mvrtin, com o nome de registro Brian Agostinho Jacinto Cumba, nascido no dia 1 de Setembro de 1995, formado em Relações Internacionais e Diplomacia pela Universidade Joaquim Chissano (ISRI) e trabalha como consultor de HST.

Por conta do seu ser tímido, tem dificuldades em expressar-se através de discursos oratórios quanto a assuntos sentimentais, encontrou na música a possibilidade de me expressar, e livrar-se de certos demónios.

“Cantar é terapêutico, é revigorante e acima de tudo é libertador” – Brian Mvrtin

A sua inserção no mundo musical, iniciou em 2012 por de um grande amigo de infância, Bob Gate, que o convidou a gravar a primeira música, embora depois daquela, não tenha regressado com urgência, registado uma paragem de 3 anos, até lançar “Love Tape”, que marca o início da sua jornada profissional na área.

Segundo conta, um dia mexendo no computador de Bob Gate, seu amigo, viu uma instrumental de uma música de Trey Songz que não conhecia na época, que o inspirou a compor durante 3 dias, numa tarde quente na faculdade.

“A minha primeira música nasceu de uma revolta interna. Eu zangava-me comigo mesmo por dizer às pessoas que canto sem ter músicas gravadas para mostrar” – Brian Mvrtin

Embora o convite do seu amigo para entrar em um estúdio de gravação, tenha sido a sua porta de entrada para o mundo artístico, importa referir que durante a sua infância, quando saia da Zona Verde onde residia para a casa do seu tio e avós maternos, para visitar seu tio mais novo, que cultivou nele o meu gosto música e com destaque para o R&b. “Ele ensinou-me a mexer no aparelho de som e no computador, costumava mandar-me trocar os CDs no aparelho e falava-me dos artistas e com ele conheci o Michael Jackson, Brian MckNight e os Boys II man” contou-nos Brian.

Em suas músicas, busca trazer letras profundas e imersivas. Cantando por vezes sobre assuntos que viveu ou que aconteceram no seu meio.

“Cada música minha carrega fragmentos dos meus mais profundos pensamentos e principalmente a minha alma” – Brian Mvrtin

Na música feita em Português, sente-se influenciado por Nelson Nhachungue, Hermínio, Doppaz e Anselmo Ralph, que moldam um pouco da sua apresentação musical, uma vez que cresceu ouvindo o trabalho destes artistas.

Brian Mvtin um artista que nasce dum paradoxo

No dia 6 de Agosto, o músico, pretende lançar o seu primeiro trabalho discográfico, “Paradoxo”, que promete revelar um pouco mais de si ao mundo, uma vez que usa a música como terapia. A sua concepção é acompanhada pela Kodie Clan que o mobilizou para trabalhar nos mínimos detalhes, desde a produção das instrumentais pelos produtores às composições.

O Extended Play, conta com a produção de Mek, Ba6a e Ben-Oni, que trabalharam em faixas compostas por Brian, Hard BVA e Kayneff, gravadas na Flow Music Studios. O Ep Paradoxo nasce da vontade do artista de abordar questões que têm a ver com a sua vida.

Quis focar no facto de eu ser quem cura e quem fere – Brian Mvtin

“O paradoxo em questão é mais literário que filosófico. O Paradoxo de que falo e canto é composto por felicidade e dor”

A música promocional do trabalho, foi “Se soubesses” que retrata uma situação muito comum na vida dos jovens, que apaixonam-se por uma amiga e vivem repreendendo esse amor para que ela não saiba, mas a dado momento a dor não permite mais esconder os sentimentos.

Uma das metas do artista consiste em construir uma banda para o acompanhar em suas actuações, uma vez que pretende cada vez mais explorar a sua capacidade vocálica, e alcançar cada vez mais pessoas com a sua arte.

 

 

 

1 comentário em “Brian Mvrtin um artista que nasce dum paradoxo”

  1. Entrevista muitíssimo interessante.
    Gostei de ler o esse conteúdo do Xigubo.
    Mandar meus parabéns ao artista, sua ousadia e vontade de se superar o levaram á obter bons resultados. Adorei a música, se soubesses é visivelmente muito boa. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.